18/06/2024 20:31

O Que é a Haftarah?

O Que é a Haftarah? Explorando a Leitura Complementar na Liturgia Judaica

Introdução: Dentro da rica tapeçaria da tradição judaica, a Haftarah ocupa um lugar especial como leitura complementar à porção semanal da Torá. Este costume, que remonta a tempos antigos, oferece uma janela única para a profecia e a narrativa bíblica, enriquecendo a experiência espiritual e educacional da comunidade judaica. Neste editorial, exploraremos o significado, a origem e a prática da Haftarah, bem como sua importância na liturgia e na vida judaica.

Origem e Significado da Haftarah: A palavra “Haftarah” deriva da raiz hebraica “פטר” (patár), que significa “concluir” ou “separar”. Na prática litúrgica, a Haftarah é uma seleção de textos dos Profetas (Nevi’im) lidos após a leitura da porção semanal da Torá (Parashá) durante os serviços de Shabat, festividades judaicas e jejum. Esta leitura proporciona uma visão complementar e frequentemente reflexiva sobre os temas abordados na Parashá.

História e Desenvolvimento: A origem da leitura da Haftarah está envolta em um certo mistério, mas acredita-se que ela tenha surgido durante o período do Segundo Templo, ou talvez antes, como uma resposta a uma proibição decretada pelos governantes estrangeiros, como os Selêucidas, que proibiram a leitura da Torá. Os sábios da época instituíram a leitura dos Profetas como um substituto para manter viva a chama da educação e do ensinamento judaico.

Veja Também:  Quais são as principais parábolas de Jesus Cristo?

Com o tempo, mesmo após o levantamento das proibições, a prática de ler a Haftarah foi mantida e incorporada permanentemente na liturgia judaica. A Haftarah geralmente tem uma conexão temática com a Parashá, estabelecendo um diálogo entre os textos da Torá e dos Profetas.

Estrutura e Seleção das Leituras: Cada Haftarah é escolhida de acordo com um sistema estabelecido pelos sábios antigos. As leituras variam de acordo com a tradição (sefardita, asquenazita, iemenita, etc.), mas geralmente seguem um padrão consistente:

  1. Conexão Temática: A Haftarah está frequentemente relacionada ao tema central da Parashá ou à época do ano. Por exemplo, durante o Shabat Shuvá, entre Rosh Hashaná e Yom Kipur, a Haftarah aborda o tema do arrependimento.
  2. Longa História de Tradição: A escolha exata das Haftarot foi desenvolvida ao longo de séculos e reflete a sabedoria dos rabinos que queriam garantir que a mensagem dos Profetas fosse ouvida e refletida em conjunto com a leitura da Torá.

A Experiência Litúrgica: Durante o serviço, após a conclusão da leitura da Torá, um membro da congregação é chamado para recitar a bênção antes da leitura da Haftarah. A Haftarah é então lida, seguida por uma série de bênçãos que destacam a importância dos Profetas e sua mensagem.

Veja Também:  Como é dividido o ciclo de leitura da Torá?

A leitura da Haftarah é frequentemente realizada com uma entonação melódica específica, conhecida como trop ou cantilação, semelhante à leitura da Torá. Essa prática realça a beleza e a santidade do texto, tornando a experiência mais envolvente e espiritualmente significativa.

Significado Espiritual e Educacional: A Haftarah oferece uma oportunidade de refletir sobre as mensagens dos Profetas, que frequentemente abordam temas de justiça social, moralidade e a relação entre D’us e o povo judeu. Essas leituras convidam a congregação a introspecção e a considerar como esses ensinamentos podem ser aplicados na vida contemporânea.

Além disso, a Haftarah amplia o escopo do estudo bíblico além da Torá, proporcionando uma compreensão mais rica e completa das escrituras hebraicas. Isso reforça a continuidade e a coerência da tradição judaica, mostrando como os ensinamentos dos Profetas se entrelaçam com os mandamentos e narrativas da Torá.

Conclusão: A Haftarah é muito mais do que uma simples leitura complementar; é um elo vital que conecta a Torá aos Profetas, enriquecendo a experiência litúrgica e espiritual dos judeus. Através da Haftarah, a comunidade judaica é convidada a explorar as profundezas dos textos sagrados, refletir sobre os ensinamentos dos Profetas e aplicar essas lições atemporais em suas vidas. Este ritual, preservado ao longo dos séculos, continua a inspirar e guiar os judeus em sua jornada espiritual.

Veja Também:  Rabi Akiva - A Metamorfose de um Pastor a um Pilar do Judaísmo